Notícias

28/11/2017

5 motivos para o vestibulando escolher a carreira que lhe fará feliz



Daqui a pouco mais de um mês acontece a segunda etapa dos principais vestibulares do país federais e estaduais. As provas são conhecidas por abrirem oportunidades para os estudantes ingressarem nas faculdades mais concorridas do país. Muitos jovens se dedicam de um a dois anos para a realização desses testes e além de toda a pressão para fixar o conteúdo do período letivo da escola devem optar pela carreira que desejam seguir.


Geração Z: Se preocupa mais com a economia colaborativa e novas formas de trabalho

Os vestibulandos passam por influência dos pais, amigos e professores, além da preocupação com o que vão ganhar ou perder com a profissão escolhida, tanto no que tange ao financeiro, quanto ao conhecimento e experiência que terão a longo prazo. A geração Y (geração do milênio), nascidos após 1980, apresentam uma visão diferente da geração anterior e apesar de se preocuparem com o salário, levam em consideração também como será o seu dia a dia na profissão escolhida. Se citarmos a geração Z que são os nascidos em meados de 1990 até agora, as aspirações profissionais mudam ainda mais porque essa geração tende a ser mais tecnológica e imersa em outra lógica de troca de trabalho.

Pensando na mudança de geração e nas velozes alterações empregatícias, a especialista Leiza Oliveira, CEO da rede educacional Minds, aponta 5 motivos para que o estudante opte pelo curso que realmente deseja ingressar e ser feliz:

1. A volta dos ofícios

Quando afirmamos que ter um ofício é importante, evidenciamos que saber fazer algo é mais importante do que ter a teoria. Isso porque com a tecnologia, as atividades de um profissional tendem a se modificar a curto prazo e, é preciso estar atualizado para cumprir o trabalho em si. Por isso, opte primeiro por uma carreira que você enxergue uma possibilidade de ser feliz nela e logo em seguida, na universidade, garimpe sobre as funções que deseja cumprir nessa profissão.

2. Será que o dinheiro será a moeda de troca a longo prazo?

Essa dica pode parecer futurista, mas será que a forma de troca de trabalho será por meio de notas? Estamos na era dos Bitcoins, criptomoeda descentralizada, e rede de pagamento online, a questão é que já estão sendo inventadas outras formas de troca. Logo, será que faz sentido optar por uma carreira pelo dinheiro? Vale colocar na balança o que pode lhe faz feliz diariamente e seguir nessa profissão.

3. Passamos mais tempo trabalhando do que vivendo: Essa lógica também tende a mudar

Esse é um dos motivos mais acessados pelos jovens no Google para optar por um trabalho que traga felicidade: Ficarei mais tempo trabalhando do que vivendo. Entretanto, essa é uma das lógicas que também tendem a se modificar com o tempo, pois isso já está mudando. Milhares de profissionais dividem o seu tempo no trabalho com as redes sociais, WhatsApp, navegações em notícias, entre várias atividades simultâneas. Muitos desses mesmos profissionais usam ferramentas como redes sociais e WhatsApp para trabalhar após o “ horário de expediente”. A maioria das profissões, com a tecnologia avançando cada vez mais, tendem a se modificar e o tempo dedicado para as funções também. Logo, opte pela carreira que enxergue sendo feliz e não o tempo dedicado a ela.

4. Aprender mais

Quando exercemos funções que não estamos satisfeitos tendemos a repetição das atividades, não temos desejo de modificar o entorno e nem de aperfeiçoar os conhecimentos e a forma de fazer. Já exercer funções que gostamos nos faz querer aprender mais e concomitantemente melhorarmos o dia a dia da empresa, nosso e dos nossos parceiros de trabalho. 

5. Terá ânimo para a vida

Estar feliz o tempo todo é uma utopia, porém a busca pelo equilíbrio é o que move as pessoas. Logo, ter uma profissão que goste lhe dará ânimo para as demais atividades da vida: socializar, viajar, decorar a casa, enfim tudo o que envolve ser feliz.