Notícias

03/11/2017

O dia em que criei um lugar ao ar livre para ensinar inglês


Por Leiza Oliveira, CEO da Minds Idiomas

Quando decidi investir em um segmento tão concorrido quanto idiomas sabia que tinha que diferenciar a Minds, nome que dei para as minhas escolas por remeter a mentes, de alguma forma. Sempre fui ligada a tecnologia, mas também sempre acreditei no aprendizado olho no olho. Dessa forma sabia que o sucesso estaria na sinergia do ensino tradicional, ao contato presencial entre alunos/docentes e o que tinha de novo na tecnologia.

Assim, criei a Minds Idiomas há 10 anos com o intuito dos alunos aprenderem inglês brincando com jogos de tabuleiro, games online, tirando dúvidas por skype e ter acesso aos melhores professores nas salas de aula. Todavia, faltava algo. No Paraná, estado que escolhi para alocar a minha franqueadora, há muito verde e pouco contato da população urbana com a natureza. Dessa forma, conversei com o meu sócio, Augusto Jimenez, pensamos muito e decidimos investir em uma chácara com o objetivo dos alunos aprenderem um novo idioma mexendo na terra.

Em 2010 criamos a chácara Minds na cidade de Maringá. De lá para cá todo o ecossistema é mantido pelos alunos. Os jovens fazem a manutenção da terra, colheita, cuidam do entorno e aproveitam o ar livre para ter aulas de inglês junto à natureza. Mais de 500 jovens já foram formados pela chácara Minds e aprendem um novo idioma ao ar livre. Além disso, reutilizam água e aprendem a reciclar diversos materiais.


Os resultados da fazenda nos lares dos alunos

Os alunos aprendem a reciclar e por isso levam esses ensinamentos para os pais e onde residem. Dessa forma já promoveram programas de reciclagens nos seus próprios prédios e ajudam milhares de catadores no Paraná. Quando os alunos separam papelões e outros itens recicláveis ajudam a sociedade, o meio ambiente e essa categoria tão importante profissional que são os catadores.

Colheita da chácara Minds na mesa da população

Tudo que é plantado na chácara é consumido ou doado. Os próprios alunos podem consumir, levar para as suas casas. No entanto, parte destes alimentos também são doados. Mais de 10 instituições já foram beneficiadas pela colheita da chácara. O bacana é que os jovens aprendem as leguminosas, verduras e frutas em inglês plantando e colhendo. Isso gera proximidade a cadeia dos alimentos e também a novos vocábulos em inglês. É algo enriquecedor para os alunos e para nós.

Visitas monitoradas nos finais de semana

Para a chácara não ficar sem movimento nos finais de semana promovemos em algumas datas visitas monitoradas e o uso liberado da piscina. Pais e filhos podem interagir. Só há uma restrição: todos devem tentar se comunicar em inglês. O intuito é aprender o inglês em um ambiente diferente dos livros, tecnologia e sala de aula, e claro promover interação entre familiares, alunos e professores.

LeizaLeiza Oliveira é CEO e diretora educacional da rede Minds Idiomas. Fez magistério, ciências contábeis e administra um total de 70 escolas de idiomas. Possui escolas nas 5 regiões do país. Realiza treinamento de franqueados, lida diretamente com alunos traz sempre tecnologia para dentro das salas de aula das escolas Minds.